Até aqui nos ajudou o Senhor

Governador de Goiás decreta lockdown

30/06/2020

Nossa reportagem já havia denunciado a situação dos estados do centro oeste do país, especialmente da região do Distrito Federal. Agora o governador do DF, Ibaneis Rocha, decretou estado de calamidade pública em razão da pandemia. Segundo o texto publicado no Diário Oficial do Distrito Federal, a determinação vale enquanto perdurar os efeitos da pandemia e tem como objetivo garantir a liberação rápida de verbas para compra de insumos de combate à pandemia. O estado de Goiás deve viver seu pior momento da crise em final de julho. O governador Ronaldo Caiado, convocou ontem (29) uma reunião por videoconferência, com prefeitos e representantes do poderes legislativo e judiciário goianos, com o objetivo de traçar novas medidas necessárias para que não faltem leitos na rede pública de saúde do estado. Caiado afirmou "É momento de todos refletirem e assumirem responsabilidades. Não adianta um prefeito fazer a tarefa de casa, e outro liberar tudo [comércio, festas etc.]. As ações têm que ser unânimes". O governador não descarta a possibilidade de um lockdown em todo o estado. De acordo com Caiado a partir de agora os dividendos políticos, vão estar associados a todas as vidas poupadas, em consequência dos atos de cada gestor.  

Quando fechavamos essa edição chegou a noticia da decretação do lockdown em Goias. O governador Ronaldo Caiado de Goiás decretou ''lockdown'' de 14 dias no estado. De acordo com o site disponibilizado pelo governo federal para atualização das estatísticas da Covid-19, Goiás tem 21.984 confirmações e 435 mortes provocadas pela doença. Com a nova medida as autoridades do estado impõe um isolamento social com regras mais rígidas e fechamento de todo o comércio exceto os serviços essenciais. O descumprimeto das regras podem levar o estado a decretação de toque de recolher. Desde o dia 31 de maio, o Brasil lidera o ranking global de casos, são em média 31,1 mil novos casos, os EUA registram 28,3 mil e a Índia 13,8 mil novos casos. Mesmo com este quadro inalterado o presidente teima em defender a abertura do comércio ele disse "talvez tenha havido um pouco de exagero" na maneira como a pandemia foi tratada. Também disse que a Organização Mundial de Saúde (OMS) cometeu equívocos. Vários outros estados já estão desenvolvendo o projeto para implantação do lockdown, a maioria são estados que flexibilizaram o isolamento e viram crescer de forma assustadora o número de casos.