Presidente pressiona governador de Minas Gerais a sair de cima do muro

13/02/2022

Em um passado recente o governador Romeu Zema de Minas Gerais era um dos mais fiéis escudeiros do presidente e evitava constantemente fazer críticas a ele. Auxiliares próximos ao governo mineiro têm atuado desde o ano passado para que o governador se afastasse do presidente, em razão do alto índice de rejeição. Secretários do governo do Estado fizeram pedidos diretos para que Zema não comparecesse mais em agendas com o presidente e evitasse posar com ele. Preocupado com uma possível aproximação com o seu principal oponente, o presidente escalou o 01, o senador Flávio Bolsonaro, para servir de interlocutor e tentar frear essa possível aproximação. O senador esteve em Belo Horizonte onde se reuniu com o governador para lembrar os muitos gestos públicos do presidente em favor do governador e cobrou uma composição que ajude o pai. O presidente quer indicar o vice do governador ou um candidato ao Senado. Em um tom nada ameno, Flavio disse ao governador que, com ou sem ele, o presidente terá um palanque em Minas Gerais. O Estado é o segundo maior colégio eleitoral do país e é determinante no resultado do pleito presidencial. Contudo, as pesquisas mostram que hoje o presidente está bem abaixo de seu opositor, nas intenções de voto e na preferência dos mineiros. Em cima do muro e pressionado pelos aliados para se descolar sua imagem do presidente, Zema se comprometeu a dar uma resposta até o fim do mês.