Até aqui nos ajudou o Senhor

Lista negra que o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro publicou não poupou nem o irmão senador. Eita!

19/08/2019

Tudo é uma questão de DNA e quando o assunto é o clã bolsonaro a herança genética é a completa inépcia. O 02 vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, resolveu jogar o pouco de sujeira no ventilador e publicou no sábado (17) no seu Twitter, uma lista de políticos da ALERJ que apresentaram transações financeira suspeitas. Na lista consta o nome do irmão do vereador e hoje senador da república Flávio Bolsonaro. A lista faz parte de um relatório do Coaf (Conselho de Controle das Atividades Financeiras) do ano passado, que apontou movimentação atípica de auxiliares de 20 deputados da assembleia fluminense. E que gerou uma ação do MP do Rio de Janeiro e foi suspensa pelo STJ a pedido dos advogados do senador. Enquanto o irmão senador usa de todos os meios para abafar o caso, inclusive as movimentações do seu então assessor Fabrício Queiroz (que a proposito, alguém sabe por onde anda o Queiroz?). O irmão vereador coloca tudo na frente de ventilador e liga no máximo. O relatório do Coaf aponta a movimentação atípica de outros assessores de outros 20 deputados. O descontrole do clã e genético, pai e filhos ao serem confrontados, como dizem os antigos perdem as estribeiras. A divulgação da lista é exatamente por uma destas situações. O deputado federal Marcelo Freixo fez um questionamento em relação ao silêncio do ministro Moro com relação ao envolvimento do presidente nas substituições na Polícia e na Receita Federal do Rio de Janeiro. Em resposta (?) o vereador publica a lista. Freixo ironizou "Confesso que às vezes tenho pena do Carluxo. Sempre tão confuso... Ele fica tão nervoso que daqui a pouco vai divulgar a lista dos funcionários fantasmas do seu próprio gabinete".