Ministro da Defesa Braga Netto reacende sem provas as dúvidas sobre a urna eletrônica

01/02/2022

Típico de quem anda mal nas pesquisas, o Ministério da Defesa, comandado pelo general Walter Braga Netto, resolveu apresentar ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) 55 questionamentos sobre o processo eleitoral brasileiro, apresentando dúvidas e questionamentos sobre a segurança da urna eletrônica, informou a CNN. Só lembrando que foi às Forças Armadas que se negaram a participar dos TPS (Teste Público de Segurança) das urnas ano passado. O documento apresentado por Braga Netto, levantava questões em quatro áreas: técnica, segurança, logística e auditoria e seguramente é o responsável pela nova postura do presidente. Inicialmente ele atacava ferrenhamente as urnas e alegava até ter provas de fraudes. Depois ele próprio disse que é "quase impossível" ter fraude na urna. E agora como sempre ele recua e volta a atacar as urnas, o que não faria se tivesse a frente nas pesquisas. Tudo isso, Braga Netto informá-lo das dúvidas das Forças Armadas sobre o processo eleitoral. O fato é que não existe, ao menos até agora, nenhum argumento válido que justifique ou suporte qualquer acusação contra a urna eletrônica. No entanto, até agora, todas as acusações do governo, que não é a primeira desde o início do processo, não passaram de especulações infundadas e sem provas. O início de uma estratégia para uma possível derrota "nas urnas".