Até aqui nos ajudou o Senhor

"Quem fala verdade não merece castigo"

05/10/2019
Foto Divulgação/Arquivo CCJ Câmara Federal
Foto Divulgação/Arquivo CCJ Câmara Federal

É a exceção da verdade, o deputado federal Glauber Braga foi notificado pelo Conselho de Ética da Casa, por uma declaração que fez diretamente ao Ministro Sérgio Moro, durante uma de suas falas sobre as irregularidades da Operação Lava Jato que vêm sendo reveladas pelo site Intercept Brasil. O parlamentar disse "O senhor vai estar nos livros de história como um juiz que se corrompeu, como um juiz ladrão!". Em resposta Glauber Braga diz que recebe a notificação mas não retira uma palavra do que eu disse na Comissão de Constituição e Justiça, de que Moro é um juiz ladrão. Estou apresentando a minha certeza baseada em duas teses jurídicas. A primeira é a da imunidade parlamentar. A segunda, se eles não arquivarem, é a exceção da verdade, pois quem fala a verdade não merece castigo. Todas as informações do Intercept Brasil são questionadas por seus interlocutores, mas até o momento nenhuma delas foram desmentidas. Hoje o que está claro é que o ex juiz ágil com parcialidade em um processo, além de receber como recompensa por isso um ministério. Mais ainda a associação de agentes públicos para o cometimento de crimes. O deputado diz que se este processo parlamentar for a frente ele usará todos os meios de prova,inclusive ouvir testemunhas, algumas de fora do país. " quem fala verdade não merece castigo"