Até aqui nos ajudou o Senhor

Sargento Rodrigues se nega a responder interrogatório

17/10/2019

O sargento da FAB (Força Aérea Brasileira) Manoel Silva Rodrigues, que foi preso transportando drogas em avião que servia a comitiva do presidente Bolsonaro que viajava para o Japão, onde participaria da cúpula do G20, recebeu a alguns dias em Sevilha, na Espanha onde está preso desde o dia 26/07, acusado de tráfico. Na oportunidade a equipe que viajou ao país europeu queria interrogar o sargento sobre outros envolvidos. Os militares foram à Promotoria de Cooperação Internacional, em Sevilha, para interrogar o acusado. No entanto, o sargento não quis depor e apenas defendeu as pessoas que o acompanhavam na aeronave quando foi detido, alegando que nenhuma delas teve envolvimento com o caso. O militar levava da bagagem 39 quilos de cocaína, e ainda não está bem esclarecida as circunstância. Como um militar de baixa patente pode embarcar em uma aeronave que serve a presidência com uma quantidade tão grande de drogas? Uma pergunta que não quer calar.

O Ministério Público da Espanha defende que o sargento brasileiro Manoel Silva Rodrigues deve cumprir pena de 8 anos de prisão por tráfico de drogas e pagar multa de € 4 milhões (R$ 18,2 milhões) a ser cumprida na Espanha.