Até aqui nos ajudou o Senhor

Coisa feia Deputado...

27/10/2019

Ontem nós acompanhamos a reportagem do jornalista Germano Oliveira, para a revista IstoÉ, sobre os milicianos digitais nos bastidores do governo. A mesma reportagem também mostra que um governo que se elegeu prometendo austeridade com o dinheiro público, teve um de seus herdeiros usando do fundo partidário para pagar sua viagem de lua de mel. É isso, relatos da reportagem, mostram detalhes de uma negociações intermediadas pela advogada Karina Kufa. De acordo com este detalhe, a viagem de lua de mel do casal para as Ilhas Maldivas seria um presente de amigos, mas faltava a compra das passagens. Kufa então teria sido acionada e em nome do deputado, ligado para o vice-presidente nacional do PSL Antonio Rueda, pedindo liberação do valor que faltava do fundo partidário. De acordo com o apurado pelo jornalista, Rueda teria confidenciado a partidários "não aguento mais essa mulher me telefonando para pedir dinheiro para o Eduardo". Tendo enfim liberado o que faltava para a viagem de núpcias do casal. Eduardo não diz que sim nem que não, apenas culpa os parlamentares do seu partido pela matéria. "Os maiores prejudicados com as investidas contra mim são os próprios investidores, parlamentares do PSL. Eles é que devem explicar ao seu eleitorado o porquê disso, por qual motivo estão indo contra o PR Bolsonaro também. Matérias pagas não me abalam. Eu sigo tranquilo", afirmou o congressista no Twitter. A revista IstoÉ também apresenta suspeitas de recheadinha (de novo), de acordo com o apurado Karina Kufa recebia salário de R$ 40 mil mensais,pagos com dinheiro público, mas dividia metade do valor com o deputado. Eduardo também ficaria com parte do dinheiro que a advogada recebia do PSL a título de consultorias extras. O nome disso é falha de caráter.