Até aqui nos ajudou o Senhor

O que era só imoral... agora tambem é ilegal.

19/07/2019

O coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, foi contratado pelo Centro Industrial do Ceará (CIC) para um evento empresarial, para falar sobre a luta contra a corrupção, pela operação que ele encabeçava junto a outros procuradores em Curitiba. Na oportunidade Dallagnol teria recebido R$30 mil de cachê para a palestra e a estadia e hospedagem no hotel do Beach Park. O evento foi o projeto "Ideias em Debate", promovido pela Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). A confirmação deste ato, coloca o promotor em situação desconfortável neste mar de denuncias da Vaza Jato. Dallagnol defende que o que fez é "legal, lícito e privado e autorizada por resoluções" e que quase a totalidade dos recursos na atividade, foram doados a entidades e fundos. De acordo com o CNMP (Conselho Nacional do Ministério Publico) órgão que tem o dever de fiscalizar as ações de promotores da republica. Inexiste regulamentação que autorize ao procurador a realizar este tipo de atividade remunerada, independente do destino dos recursos. Após analisar todos os dispositivos existentes para o exercício de palestras e seminários, identificou que a atividade é regulamentada apenas pelo CNJ que, por sua vez, não é o órgão competente para fiscalizar membros do Ministério Público, mas apenas juízes, desembargadores, ministros, ou seja, integrantes da Magistratura. Daí, o que era só imoral, agora também é ilegal.