Até aqui nos ajudou o Senhor

Dificuldade de interlocução faz MPs do presidente emperrar

11/08/2019

A dificuldade de interlocução do presidente e de seus assessores, fez com que um processo que já é praxe entre novos presidentes que é a edição de medidas provisórias, com o objetivo de adequar sua agenda política, não tenham alcançado o objetivo. O presidente foi quem mais emitiu estas medidas, entre as 40 propostas enviadas por ele, somente seis delas foram aprovadas e mesmo assim com um grande esforço dos líderes do legislativo. Aliados justificam este baixo rendimento e afirmam que a principal ação do presidente foi mudar a forma de relacionamento com o Congresso, sem o chamado "toma lá dá cá". Vice-líder do governo na Câmara, Coronel Armando (PSL-SC), opina que a atuação do Planalto frente às propostas encaminhadas ao Congresso faz parte de uma nova forma de fazer política. embora não tenha sido este procedimento neste processo. Outro fator que tem mostrado a falta de aptidão governamental, é que em seis meses sua reprovação e a maior desde o presidente Collor, 53% avaliam seu governo como péssimo e ruim. Suas perseguições desmedidas contra tudo e todos que tem visão oposta a sua, fazem com que coisas importantes fiquem em segundo plano no seu governo.