Até aqui nos ajudou o Senhor

Autoritarismo sem limites presidente quer se envolver em assuntos internos da PF

17/08/2019

E o autoritarismo que tem envergonhado o Brazil de bolsonaro, fica cada vez mais explícito. Neste final de semana o presidente afirmou que "ficou sabendo" que quem assumiria a chefia da Polícia Federal no Rio de Janeiro seria o chefe da PF no Amazonas, Alexandre Silva Saraiva. Apenas um dia depois a Polícia Federal divulgou que o superintendente da corporação em Pernambuco, Carlos Henrique Oliveira Sousa, seria quem substituiria o chefe da PF no Rio, Ricardo Saadi. Estas declarações conflitantes fizeram o presidente disparar "O que eu fiquei sabendo... Se ele resolver mudar, vai ter que falar comigo. Quem manda sou eu... deixar bem claro", afirmou Bolsonaro. "Eu dou liberdade para os ministros todos. Mas quem manda sou eu", reforçou. Inicialmente o presidente alegou razões de produtividade para remover Saadi do Comando da PF no Rio, mas ao ser pressionado afirmou apenas "não interessa o motivo" e concluiu "Pergunta para o ministro da Justiça, Sérgio Moro. Já estava há três, quatro meses para sair o cara de lá" Quem também vai perder o cargo no Rio de Janeiro é o chefe da Receita Federal, Mário Dehon, ele será demitido do cargo por decisão de Jair Bolsonaro por não nomear delegados estaduais indicados pelo clã. De acordo com o informações a nossa redação, Mário foi informado da decisão pelo próprio secretário da Receita Federal, Marcos Cintra.