Até aqui nos ajudou o Senhor

Governo proibi opiniões divergentes...

01/06/2019
Foto Divulgação/Internet
Foto Divulgação/Internet

O governo Bolsonaro segue implementando censura nas instituições Federais, primeiro foi em relação às propagandas institucionais, com a proibição de irem ao ar sem o aval da Assessoria de Comunicação do Governo, desta vez, através de um decreto publicado nesta quinta-feira (30), ele proíbe as instituições de terem seus próprios sites e determina que as notícias a serem divulgadas deverão passar por aprovação prévia. "Fica instituído o portal único "gov.br", no âmbito dos órgãos e das entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo federal, por meio do qual informações institucionais, notícias e serviços públicos prestados pelo Governo federal serão disponibilizados de maneira centralizada", diz o decreto. A determinação ainda afirma que, "para fins do disposto neste Decreto, consideram-se canais digitais os portais na internet e os aplicativos móveis que contenham informações institucionais, notícias ou prestação de serviços do Governo federal". A criação de um portal único até seria uma boa ideia, desde que cada setor mantivesse sua autonomia. Entretanto no artigo 4 do Decreto, a prática da censura é explícita. "Ato do Secretário de Governo Digital da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia disporá sobre os procedimentos específicos para a autorização prévia e a análise de conformidade". 

 Ou seja, nenhum setor pode mais falar, escrever ou pensar nada, sem que não passe antes por uma análise de conformidade do Secretário de Governo Digital da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia. Como já dissemos em outras oportunidades, na nossa profissão o que agora é notícia em minutos vira história e esta burrocratização da informação pode levar a isso.

Redação 247

come back