Até aqui nos ajudou o Senhor

CNN Internacional se recusa a veicular propaganda do governo sobre as queimadas

06/09/2019

O canal CNN Internacional recusou veicular uma propaganda do governo Jair Bolsonaro, onde ele nega o aumento das queimadas na Amazônia, segundo a emissora peça publicitária possui viés político por usar a palavra "soberania" na propaganda. Para o secretário da Secom, Fabio Wajngarten, a decisão é uma censura por parte da CNN internacional, emissora que se diz a favor da democracia. Já é provado que contra fatos não há argumentos, mesmo assim o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, teima em afirmar que o problema na Amazônia é uma "falsa crise" que teria sido incentivada devido a "ideologia" de algumas pessoas e que acabou por "colar". "Falsa crise, falsa interpretação da situação", disse o chanceler. O Inpe avisou com antecedência e seu diretor foi sumariamente despedido, depois a Agência Espacial Americana publicou uma foto com a legenda "queimada na Amazônia pode ser vista do espaço". Segundo os chanceler estamos sendo vítimas de um vírus, que invade nossas cabeças e não nos permite ver a realidade e isso é ideologia. Para ele o governo Jair Bolsonaro vem enfrentando "forças das trevas" ao tentar mudar este pensamento. "Nossa agenda é popular porque pessoas no Brasil entendem o que estamos tentando fazer. Queremos mudar o sistema e não apenas fazer uma mudança aqui e ali", ressaltou. Isso certamente explica a queda vertiginosa do prestígio do presidente