Até aqui nos ajudou o Senhor

OPERAÇÃO DA POLICIA CIVIL DESBARATA PONTO DE VENDA E  DISTRIBUIÇÃO DROGAS NO CENTRO DE JUIZ DE FORA

10/10/2019
Foto Divulgação/Arquivo Policia Civil JF
Foto Divulgação/Arquivo Policia Civil JF

A Delegacia Especializada de Repressão a Roubos, deflagrou na noite de terça-feira (8) a operação batizada "Operação A Grande Família". As investigações levaram cerca de um mês e teve início depois de uma denuncia anônima, sobre uma movimentação suspeita em um apartamento no prédio na Avenida Olegário Maciel, região central da cidade. Na apuração da denúncia de acordo com o titular da Especializada Rafael Gomes e sua equipe, no local foi montado um verdadeiro esquema de tráfico de drogas para a venda de crack, no qual o usuário de droga chegava na rua e, de frente para o prédio onde a família morava, assobiava como forma de acionar os traficantes, que apareciam na janela. Com as mãos, o usuário sinalizava quantas pedras queria comprar. Assim, o traficante descia do prédio e se dirigia para a mata existente próximo ao local ou para a esquina da Rua Padre Café, sempre observando a existência de câmeras de monitoramento eletrônico, e ali fazia a entrega do entorpecente. Segundo o titular da especializada o volume de venda do grupo era grande, pois, quando chegamos ao local, havia uma fila de usuários à espera da entrega do entorpecente. O apartamento servia de moradia para a mãe da dupla uma mulher de 27 anos e um homem de 22, outros dois filhos dela e para duas crianças com idade entre 2 e 4 anos, filhos da mulher presa. Segundo as investigações a família sabia do movimento no apartamento mas não tinham envolvimento no tráfico. Depois da investigação processada pela equipe foi montada uma operação para a prisão dos envolvidos, o flagrante aconteceu quando o irmão e o funcionário do esquema desceram para fazer o atendimento dos usuários, os agentes então, realizaram a abordagem junto aos dois que tentaram fugir, mas foram alcançados e imobilizados. Outra parte da equipe foi ao apartamento, onde abordaram a mulher, no local foi encontrado dentro de uma tampa cega de tomada, uma pedra bruta de crack, que servia para ser fracionada e poderia render até cerca de 300 unidades. A pedra era mantida inteira, e cortada com o uso de uma tesoura de acordo com os pedidos, isso segundo o delegado é uma prática para facilitar o descarte em caso de batida policial. Também foram apreendidos no local uma balança de precisão e uma pequena porção de maconha. A mulher, o irmão e o funcionário da dupla, receberam voz de prisão em flagrante no local e foram conduzidos a delegacia onde tiveram as prisões ratificadas por tráfico de drogas e associação para o tráfico. A mulher foi encaminhada para a penitenciária Ariosvaldo Campos Pires. Os dois homens de acordo com suas fichas tinham deixados a prisão em fevereiro foram levados de volta ao Ceresp