Até aqui nos ajudou o Senhor

 Seria cômico... Se não fosse trágico.

17/07/2019

Ainda bem que a opinião não é só do Jornal Fique de Olho. Diplomatas brasileiros e estrangeiros ouvidos pela BBC News Brasil, foram categóricos em dizer que a boa relação de um embaixador com o presidente é "fundamental" para o cargo. Mas a maioria deles afirma que Eduardo não tem carreira significativa para ocupar um posto que exige alta qualificação. Ex-embaixador brasileiro na Argentina e na França, Marcos Azambuja diz que a indicação do deputado é algo "pouco habitual" na trajetória da diplomacia brasileira. O diplomata critica tanto o fato de o deputado ser filho do presidente quanto o anúncio da indicação. "Na diplomacia, não se pode correr o risco de constrangimentos. Tudo isso se faz com confidencialidade. Quando você anuncia o embaixador, já deve ter conversado com o país para onde ele será destinado. Mas para mim é de uma informalidade quase incompreensível", afirma ele, hoje conselheiro do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri), no Rio de Janeiro. Nesta terça-feira (16), Jair Bolsonaro disse que, por ele, a indicação de Eduardo "já está definida". Isso segundo a maioria dos ouvidos vai rebaixar o Brasil a uma republiqueta. 

Depois da parte trágica vem a cômica da história. O deputado Eduardo Bolsonaro aponta como credencial para ocupar o cargo de Embaixador do Brasil nos Estados Unidos, sua suposta experiência em fritar hambúrguer na terra do tio San. O Jornalista Guilherme Amado da revista Época, apresenta um fato para você rir. "Embora Eduardo Bolsonaro tenha dito que fritou hambúrguer nos Estados Unidos, a lanchonete onde ele afirma ter trabalhado só serve frango frito. A 'Popeyes' não tem hambúrguer no cardápio", diz o jornalista. Além de chocar diplomatas e todo brasileiro, a pobreza do currículo de nosso futuro embaixador. Sua experiência pode ser "fake". Outro jornalista Brian Mier disse em entrevista que o inglês de Eduardo Bolsonaro "é do nível de Joel Santana", dá pro gasto para fritar hambúrguer (não na Popeyers), mas insuficiente para um embaixador. Joel Santana, treinador e ex-futebolista, ganhou as páginas de humor ao improvisar no inglês durante a da Copa Das Confederações, em 2009. E nosso jornalismo como sempre, procura fazer o dever de casa para trazer a noticia com credibilidade para você.

Guilherme Amado: e Jornalista, carioca, é repórter de política da revista Veja, sucursal Brasília, antes trabalhou no jornal EXTRA em Brasília, coautor do livro ?Ponha-se na rua: fatos e curiosidades do Rio de Janeiro de D. João VI?. Traz na bagagem vários prêmios em jornalismo, entre eles, um Esso e um Tim Lopes.

Brian Mier: nascido em Chigaco (EUA), é jornalista, geógrafo, escritor e produtor, tendo trabalhado por mais de uma década com organizações não-governamentais de desenvolvimento internacional, como a ActionAid. Vive no Brasil há 20 anos.