Até aqui nos ajudou o Senhor

Decretado o fim do PSL, Bolsonaro quer escolher candidatos as eleições municipais de 2020

04/09/2019
Foto Divulgação/Arquivo PSL
Foto Divulgação/Arquivo PSL

Ainda não havia presenciado durante meu algum tempo de profissão, um presidente, esta mais preocupado com eleições municipais, do que com os rumos de seu próprio governo que chegou esta semana a 38% de rejeição. Em uma entrevista concedida a uma jornalista não identificada que foi postada em seu Twitter o presidente afirma a respeito da indicação dos candidatos do partido (PSL), "O partido local vai ter sua participação, mas a palavra final vai ser nossa. Se não quiser não tem problema nenhum, eu não entro na campanha daquele município. Quem vai escolher? Democraticamente, vai (sic) ser eu". Com essa declaração, Bolsonaro praticamente decreta o fim do PSL como partido político e o transforma na extensão de sua vontade política e pessoal. "Não estou dizendo que sou o bom e que só comigo ele vai se eleger. Ele pode até se eleger por conta própria, mas eu não quero participar de um governo, uma prefeitura, onde o candidato já começou com o pé esquerdo", completou em seguida. O PSL poderá sofrer uma derrota histórica nas eleições de 2020, se o "eu que mando" do presidente também acontecer dentro do partido. Esta postura, embora antidemocrática, até seria aceitável de seus índices de aceitação estivessem altos, o que é o oposto.