Até aqui nos ajudou o Senhor

Jornalista Glenn Greenwald fala na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados

26/06/2019
Foto Divulgação/Arquivo O Globo
Foto Divulgação/Arquivo O Globo

Durante a tarde de ontem (25) o jornalista Glenn Greenwald foi ouvido em audiência na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. Ela prestou esclarecimentos sobre a série de mensagens vazadas envolvendo o ex juiz e agora ministro Moro e o procurador da lava Jato Dallagnol, curiosamente as declarações não foram transmitidas pela TV Câmara. Desde o dia 9 de junho, o site The Intercept Brasil tem publicado reportagens sobre conversas do atual ministro da Justiça e Segurança Pública com o chefe da força-tarefa da Lava Jato. Greenwald foi convidado pelos deputados Camilo Capiberi, Carlos Veras, Márcio Jerry e Túlio Gadelha e não se eximiu de participar. Entre todas as perguntas e acusações o jornalista manteve uma postura ética e tranquila, que não foi vista em depoimentos de nenhum ministro do governo convocados até hoje, todos tiveram momentos de irritação e alteração. O que o nosso colega enfatizou sobre as mensagens são que os fatos são de extrema relevância, primeiro o The Intercept abriu todo o material para a imprensa nacional, as que quiseram puderam analisá-los e chegarem as próprias conclusões se mereceriam ou não serem levados a tona. O Jornalista disse com todas as palavras que, seus arquivos constam não só de mensagens trocadas no aplicativo mais também, áudios, vídeos e fotos e que todo este material seriam divulgados, veículos da mídia como a Revista Veja e O Estadão a Folha de São Paulo, também pretendem divulgar o material. Nos esclarecimentos do ministro Sérgio Moro na semana passada, um especialistas em expressões faciais disse que seriam grandes as chances de Moro não passar no detector de mentiras, usando a mesma técnica, será que Greenwald passaria?