Até aqui nos ajudou o Senhor

Publicidade de mal gosto no ministério do Turismo

07/08/2019
Foto Divulgação/Arquivo Internet
Foto Divulgação/Arquivo Internet

Nenhum anunciante responsável vai pôr um centavo numa campanha que não tiver passado por algum tipo de pré-teste. A finalidade dos pré-testes é descobrir se a mensagem será entendida pelo público, da maneira que se espera. Se há algum mal-entendido, a campanha é gongada, porque não se joga dinheiro fora numa comunicação que parte do público, ainda que minoritária, vai entender errado. Nenhum anunciante responsável vai investir numa comunicação para um país onde a mensagem passado possa trazer mal entendimento. Tenho aqui uma opinião pessoal de um simples profissional de quase 30 anos de atividade em comunicação, que já trabalhou com grandes profissionais em publicidade e que viu, de um extremo mal gosto a campanha publicitária do ministério do Turismo. A começar pelo slogan "Brazil. Visit and love us", a frase em tradução literal "Brasil. Visite e nos ame ". soa estranha demais, sem falar no 'Z' da questão. A começar pela colocação a meu ver errada do pronome 'us', "we"/"us" são habitualmente usados em publicidade, por empresas e é um recurso empregado para humanizar anunciantes/corporações. Vasculhei alguns atlas de slogans turísticos de vários países e não achei nenhum "us". Brazil, visit us you will love! "Brasil, visite-nos você vai amar!" soaria muito melhor. Simone Scorsato, diretora executiva de uma das principais associações voltada ao turismo de luxo, e que recorre ao uso do inglês no dia a dia dos negócios, criticou o slogan "[O slogan] é ambíguo e facilmente incompreendido, mesmo para quem fala inglês em qualquer lugar do mundo, não cumprindo, assim, o objetivo de promover, efetivamente, o Turismo de maneira positiva. A BLTA não pode observar silenciosamente os gastos públicos na promoção do Turismo sem uma consideração cuidadosa da linguagem e ignorando tendências e práticas óbvias na indústria global de viagens. Essas falhas estão custando aos brasileiros empregos de qualidade e crescimento econômico sustentável a longo prazo.[A BLTA solicita que a Embratur] retire imediatamente o slogan e comece a explorar alternativas que não deixem em aberto possibilidades passíveis de interpretação errônea". Depois de ouvir do mandatário do governo dizer em um de seus famosos cafés com a imprensa, segundo relato da revista digital Crusoé, que participou do encontro, que, se alguém "quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade". "O Brasil não pode ser um país do mundo gay, de turismo gay. Temos famílias". O que se pensar de "Love us" na propaganda oficial?