Até aqui nos ajudou o Senhor

Estimulados pelo apoio presidencial fazendeiros promovem uma barbárie na região amazônica

17/08/2019
Foto Divulgação/Fotos Satélite Inpe
Foto Divulgação/Fotos Satélite Inpe

Uma barbárie que completa uma semana, e se instala no país. Você talvez nem ficou sabendo mais fazendeiros da região amazônica promoveram no último fim de semana o que eles chamaram de "dia do fogo" ao longo da BR-163, no sudeste do Pará. Segundo reportagens a intenção era chamar a atenção do presidente "Precisamos mostrar para o presidente que queremos trabalhar e único jeito é derrubando. E para formar e limpar nossas pastagens, é com fogo", disse um dos organizadores que é claro, não quis se identificar. Várias cidades da região foram cobertas por nuvens de fumaça, na quarta (13) o Inpe atualizou os dados que mostram o tamanho do estrago feito em julho o aumento da devastação da amazônia já chegava a 66%, antes do "dia do fogo". Novo Progresso, a principal cidade da região, registrou no último sábado (10) 124 focos de incêndio, um aumento de 300% em relação a sexta-feira. No domingo esse número subiu para 203 focos. Em Altamira os números ainda são mais assustadores 194 focos no sábado e 237 no domingo. Segundo apurou nossa reportagem o Ministério Público Estadual está investigando o caso, mas é preciso lembrar que desde a posse do presidente, o Ibama teve que parar de investigar e fiscalizar queimadas em toda a região, isso porque deixaram de receber apoio da Força Nacional, ligada ao Ministério da Justiça, e da Polícia Militar. Por isso este é mais crime que certamente ficará impune.