Até aqui nos ajudou o Senhor

Em nota curta o ministerio da Economia diz "Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), deixará de receber novos projetos"

31/07/2019

Criado há 12 anos, em 2007 o PAC é o responsável pela gestão, execução e acompanhamento de vários empreendimentos pelo País e cumpriu, até 30 de junho de 2018, 95,4% do total previsto para o período 2015-2018, saindo de R$ 547,5 bilhões, realizados até dezembro de 2017, para R$ 603 bilhões. De acordo com o 7º Balanço Oficial. 631 km em 22 empreendimentos de Rodovias foram concluídos, com destaque para a pavimentação do último trecho sem asfalto da BR-316/AL, no trecho Carié-Inajá. Destaca-se também as obras de pavimentação na BR-432/RR, entre os Municípios de Cantá e Caracaraí, em Roraima. A construção de Terminal Hidroviário em Itacoatiara/AM. Portos: Foram concluídas a Dragagem de Aprofundamento do Porto de Maceió, em Alagoas, e a Dragagem de Adequação do Porto de Itajaí em Santa Catarina, que visa aumentar a capacidade operacional dos referidos portos, reduzindo custos logísticos. Os Estudos para Implantação do Terminal Marítimo de Passageiros no Porto de Maceió, em Alagoas, também foram concluídos neste período. Aeroportos: Foram concluídos 3 empreendimentos: Aeroporto de Vitória - Novo Complexo Aeroportuário do SBVT; Aeroporto de Rio Branco - Reforma e Ampliação do Terminal do TPS do SBRB; e Aeroporto de Manaus - Substituição de Pontes de Embarque do SBEG. Porém agora o Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes, decidiu que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), deixará de receber novos projetos. A medida se alinha com uma agenda que prevê o "esvaziamento" do Estado brasileiro e reduz a participação direta do governo em investimentos de infraestrutura somada à falta de agenda concreta para o aumento do nível de consumo e do crescimento econômico. Mais uma medida com o absoluto intento de pôr fim a independência dos estados e municípios.